Política de atención a mujeres en situación de violencia

Un estudio exploratorio en Ciudad del Este y Foz de Yguazú

  • Filipe Silva Neri Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), Brasil
##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## https://doi.org/10.28917/ism.2019-v3-139

Resumen

El artículo en pantalla pretende caracterizar las políticas públicas de atención a la mujer en situación de violencia, su implementación y ejecución en Brasil y Paraguay, con recorte analítico para las ciudades gemelas de Foz do Iguaçu/BR y Ciudad del Este/PY, a partir de estudios exploratorios (ley, decretos y reglamentaciones de los respectivos países) y empírica (a través de visita in loco), con el objetivo de identificar, en sus contenidos programáticos, las diferencias y similitudes en el proceso de creación, ejecución e implementación de esas políticas en las dos ciudades.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Membro do grupo de pesquisa Serviço Social, Proteção Social, Fronteiras e Migrações e do Observatório de Políticas Sociais do Instituto Mercosul de Estudos Avançados (IMEA/UNILA). 

Citas

Brasil. Lei 11.340/2006, de 7 de agosto de 2006 (2006). Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do par. 8° do art. 226 da constituição federal, da convenção sobre a eliminação de todas as formas de discriminação contra as mulheres e da convenção interamericana para prevenir, punir e erradicar a violência contra a mulher; dispõe sobre a criação dos juizados de violência doméstica e familiar contra a mulher; altera o código de processo penal, o código penal e a lei de execução penal; e dá outras providências.
Brasil. Lei 13.104/2015, de 9 de março de 2015 (2015). Altera o art. 121 do decreto-lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - código penal, para prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio, e o art. 1º da lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o feminicídio no rol dos crimes hediondos.
Brasil. (2010). Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres / Secretaria de Políticas para as Mulheres. Brasília: Secretaria Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres.
CIDH. (1994). Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra a Mulher, “Convenção de Belém do Pará”.
CIDH. (2001). Comissão Interamericana de Direitos Humanos. relatório de seguimento do cumprimento das recomendações da CIDH no terceiro relatório sobre a situação dos direitos humanos em Paraguai. OEA.
CNJ, Conselho Nacional de Justiça. (2018). O poder judiciário na aplicação da Lei Maria da Penha. Brasilia: CNJ.
FLACSO, Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais. (2015). Mapa da Violência 2015: Homicídio de mulheres no Brasil. Rio de Janeiro: FLACSO.
Hertzog, K. G. (2017). Atenção às mulheres vítimas de violência de gênero nos serviços de saúde de Foz do Iguaçu. Foz do Iguaçu: PR.
IPEA, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. (2015). A Institucionalização das políticas de enfrentamento à violência conta as mulheres no Brasil. Brasília: IPEA.
MINMUJER, Ministerio de la Mujer. (2018). Evaluación del programa contra la violencia hacia la mujer. Asunción: MINMUJER.
Monteiro, L. C. R. M., & Amaral, P. A. T. (2016). A rede de enfrentamento à violência contra a mulher na faixa de fronteira: em busca da visibilidade. Perspectiva Geográfica-Marechal Cândido Rondon, 11(5), 143-151.
OEA. (1994). Organização das Nações Unidas. Convencion interamericana para prevenir, sancionar y erradicar la violencia contra la mujer “Convención de Belem do Para”. Brasil.
ONU. (2016). Organização das Nações Unidas. Cartilha direitos da mulher prevenção à violência e ao HIV | aids.
Paraguay. Decreto Nº 6.973, de 27 de marzo de 2017. Reglamenta a Ley Nº 5.777/2016.
Paraguay. Ley Nº 5.777/2016, De protección integral de las mujeres contra toda forma de violencia.
Paraguay. Ley Nº1.600, de 2000. Contra la violencia doméstica.
Paraguay. Ley Nº 34 de 1992, Que crea la Secretaría de la Mujer.
PNUD, Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo, PNUD. (2017). Del Compromiso a la Acción: Políticas para erradicar la violencia contra las mujeres en América Latina y el Caribe. Panamá.
REM, Reunião Especializada da Mulher do MERCOSUL. (2011). Diagnóstico Regional. Indicadores en Violencia Doméstica basada en género en el MERCOSUR.
Publicado
2019-12-20
##submission.howToCite##
NERI, Filipe Silva. Política de atención a mujeres en situación de violencia. Revista MERCOSUR de Políticas Sociales, [S.l.], v. 3, p. 139-155, dic. 2019. ISSN 2663-2047. Disponible en: <http://revista.ismercosur.org/index.php/revista/article/view/96>. Fecha de acceso: 28 feb. 2020 doi: https://doi.org/10.28917/ism.2019-v3-139.